segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Criaturas, Mitos e Lendas Urbanas #15 ''Duendes''

Duendes

Duendes são personagens da mitologia europeia semelhantes a Fadas e Goblins. Embora suas características variem um pouco pela Espanha e América Latina, são análogos aos Brownies escoceses, aos Nisse dinamarqueses-noruegueses, ao francês nain rouge, aos irlandeses clurichaun, Leprechauns e Far Darrig, aos manx fenodyree e Mooinjer Veggey, ao galês tylwyth teg, ao sueco Tomte e aos trasgos galego-portugueses.
Usado por Federico García Lorca o termo parece situá-los mais próximos da categoria das fadas.
A palavra é usualmente considerada equivalente à palavra inglesa "Sprite", ou à palavra japonesa Youkai, e é usada indiscriminadamente como um termo guarda-chuva para abrigar todas as criaturas semelhantes como Goblins, Duendes (do inglês Pixies), Elfos, Gnomos, etc.
Alguns mitos dizem que Duendes tomam conta de um pote de ouro no final do arco-íris. Entretanto, se for capturado, o duende pode comprar sua liberdade com esse ouro. Outras lendas dizem que para enganar os homens, ele fabrica uma substância parecida com ouro, que desaparece algum tempo depois. Neste caso são chamados Leprechauns. Na mitologia irlandesa os Leprechauns têm mais ou menos 30 cm e atendem a desejos. Na mitologia portuguesa, o Fradinho da mão furada, e o Zanganito são seres encantados, uma espécie de duendes caseiros.

Duendes atualmente

Na cultura atual, duendes são seres verdes, parecidos com crianças, que adoram pregar peças nos humanos. Hoje em dia os duendes estão de volta, e fazem parte do imaginário popular das crianças, as grandes empresas utilizam tais seres nas propagandas de televisão e nos desenhos animados como os padrinhos mágicos e homem aranha como o duende verde. Apesar de muitos pensarem que Dobby, do filme Harry Potter, é um duende, na realidade ele é um elfo domestico, porem os duendes podem ser encontrados no banco do mundo de Harry Potter . Os duendes também podem mudar de forma, conforme o seu desejo e necessidade de se proteger.

Nenhum comentário: